Indústria Imaginária | Produção de filmes e conteúdos para TV

A Indústria Imaginária foi fundada por Ricardo Nauenberg após 10 anos de atuação na TV Globo . Atua na produção de filmes e conteúdos para TV



Estreia em 29 de dezembro a série sobre o estúdio de gravação NAS NUVENS no canal ARTE 1, com LULU SANTOS, TONY BELLOTTO, PARALAMAS, FERNANDA ABREU, PAULA TOLLER E SÉRGIO MENDES... LIMINHA desvenda com cada um o que é ser uma fábrica de HITMAKERS.|Em REPRISE devido a alta AUDIENCIA, exibição no BIZ - MULTISHOW canal 120 OU 620 da NET, a série AUDIO RETRATO.... 6 doco-musics com de Gilberto Gil, Lenine, Fernanda Abreu, Dinho Outro Preto e o Capital Inicial, Evandro Mesquita e a BLITZ, e Gabriel o Pensador... em breve reprise da SEGUNDA TEMPORADA| O INVENTOR DE SONHOS com Stênio Garcia, Luis Carlos Vasconcelos, Ricardo Blat, Ícaro Silva, e Guilhermina Guinle em exibição no TELECINE TOUCH

Em Produção

AUDIO RETRATO – dinho ouro preto

Brasilia Sociedade Anônima

Dinho Ouro Preto, líder do CAPITAL INICIAL,  é oriundo de uma família de diplomatas, nascido no convívio do poder….o CAPITAL INICIAL é uma banda de contestação… as músicas de protesto mais contundentes nasceram justamente dos grupos de Brasilia, a maioria deles filhos da elite no poder. De onde nasce esse paradoxo da geração do “rock Brasilia” que renega suas origens por causas políticas e bandeiras por uma nova consciência de costumes sociais? Em época de ajustes de conta político, onde o Brasil e sua capital parecem não pertencer à ninguém (BRASILIA SOCIEDADE ANÔNIMA) , esse paradoxo tem origem em informações vividas em bastidores que nenhum de nós conhece. A música como tribuna , seja na guerra do Vietnã ou no rap das periferias e dos presidios, é realmente um veículo de transformação? Quais as músicas mais representativas do protesto político nacional e as que marcaram o cenário internacional?

A série do AUDIORETRATO  entrega a palavra para o artista desenvolver um tema sobre o qual que nunca se pronunciou a respeito. É um programa sobre a “pessoa física”, não a jurídica, dando ao espectador a oportunidade de entrar na intimidade e real personalidade de cada um. É como uma conversa de bar onde o espectador participa na segunda fileira, por trás da silhueta de algum outro participante.

E uma série que nasceu a partir do documentário WHITE BLACK and BLUES com BB KING, realizado em um formato diferenciado… não era só a música… foi um depoimento sobre um assunto que impactou a sua carreira, e mais que tudo, uma história de vida. No caso de BB KING, como músico de blues, viajando em turnê pela América por mais de sessenta anos, narrou a mudança nos direitos civis dos negros americanos na segunda metade do sec XX, onde a música teve um papel fundamental. Como testemunha ocular de todos os acontecimentos, ele se credibiliza como um narrador consistente, misturando narrativa com performances musicais. Não é a carreira… é um ponto de vista… um AUDIO RETRATO. A música é apenas uma moldura onde a história, em forma de depoimento é que brilha… grandes acontecimentos narrados por quem os viveu.

 

Galeria de Imagens